Página InicialNa MídiaPress Releases

19/11/2015 - Perspectivas globais do mercado de TIC pela 1ª vez na América do Sul

WCIT Brasil 2016 pode reposicionar o país, trazer oportunidades de negócios e atrair investimentos para a TIC nacional

Até o final de 2015, o mercado nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) deverá crescer 5% em relação ao ano anterior, segundo dados da International Data Corporation – IDC. De acordo com o estudo, o setor deverá movimentar cerca de R$ 430 bilhões até dezembro. Contudo, com a alta do dólar, os resultados crescentes podem ser abalados e a expectativa é que a representatividade brasileira nos investimentos em TIC influencie toda a América Latina.

O terceiro setor tem se unido para fortalecer o discurso em torno da necessidade de oferecer novas oportunidades de expansão da TIC nacional. A Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – ASSESPRO – lidera um movimento de articulação política por decisões que impactarão no incremento do comércio e das relações exteriores. 

Em 2012, a ASSESPRO captou para o país o Congresso Mundial de Tecnologia da Informação – WCIT, que ocorrerá em Brasília, nos dias 3, 4 e 5 de outubro de 2016. Realizado há 37 anos pela Aliança Mundial de Tecnologia da Informação e Serviços-WITSA, trata-se de um evento singular por discutir em perspectiva global as questões de TIC e por sua capacidade de atrair empresas globais, usuários, fornecedores, mídia, lideranças de governos e academia dos quatro cantos do mundo, para discutir por exemplo mercados emergentes, questões jurídicas e políticas, tendências políticas e econômicas, novas tecnologias e oportunidades de negócios no mercado global.

Sob o tema “Promessas da Era Digital: Desafios e oportunidades”, a ASSESPRO enxerga o evento como estratégico para atrair novos negócios e oportunidades multilaterais, posicionar o Brasil no eixo dos investimentos internacionais em ciência, tecnologia e inovação, estimular à instalação de centros de P&D no país, reposicionar o Brasil no comércio exterior, priorizar a agenda digital e trazer para sociedade a cobrança dos compromissos do governo com esta agenda, dentre outros benefícios para a cidadania, comércio e educação por exemplo.

“Para o Brasil será a chance de discutir questões que ainda representam gargalos nas relações internacionais. A indústria nacional perde competitividade pela imagem de país burocrático, cuja legislação e tributação desfavorecem a exportação de produtos, serviços e inovação de forma geral, o que atrasa nosso crescimento interno tanto no que diz respeito à economia quanto ao desenvolvimento do nosso potencial tecnológico”, diz o presidente da ASSESPRO Nacional, Jeovani Salomão.

Cidades como Montreal, Washington, Paris, Barcelona, Taipei, Tóquio, Amsterdam, Toronto, Grécia, Adelaide, Guadalajara e outras já sediaram o evento. Somadas, as últimas 10 edições movimentaram mais de US$ 1,5 bilhão em negócios.

Historicamente, o Congresso reúne mais de dois mil participantes de 82 países. A programação é composta por plenárias com mais de 60 grandes nomes (edições anteriores tiveram Margarete Thatcher, Bill Clinton e Bill Gates), 400 rodadas de negócios, eventos de networking, exposição paralela e premiação das melhores iniciativas no setor de TIC mundial.

Empresas globais como Google, Microsoft, Intel, Cisco, Avaya, Accenture, Tata, Oracle e outras, são patrocinadoras regulares do WCIT. Empresas de outros segmentos e governo também são parceiros, como a BMW, companhias de aviação, seguradoras, bancos, mídia e entidades do terceiro setor.

“É a chance que as empresas de pequeno e médio porte terão de sentar com as grandes do mercado para trocar experiências e ter um modelo a seguir. Terão oportunidade de entrar no mercado internacional, fechar negócios e exportar produtos e serviços. É como um espelho do mercado mundial que reunirá todos os componentes de peso, cada um com seu potencial de contribuição”, explica o secretário-geral da WITSA, James Poisant.

Esta será a primeira vez que o evento é sediado na América do Sul. A realização no Brasil é estratégica, uma vez que o país é líder em investimentos em TIC na América Latina, com 46% desse mercado que, em 2014, somou US$ 128 bilhões. Para este ano, no entanto, IDC projeta que o mercado latino-americano terá melhor desempenho em comparação ao Brasil. De acordo com as projeções da consultoria, a previsão aponta para crescimento de 5,7% nos negócios envolvendo TI e 6% em Telecom na região. Globalmente, a previsão é que a indústria movimente US$ 3,8 trilhões em 2015. No ranking mundial, o mercado brasileiro representa 3% da indústria de TIC e ocupa a sétima posição em investimentos, a frente da índia, Coreia do Sul e Rússia.

Editar esta página (área restrita)

 

Institucional

Associados

Biografias

Depoimentos

Diretoria Nacional

Diretorias Regionais

Histórico

Internacional

Missão, Visão e Valores

Núcleos Regionais

Transparência

Contatos

Contate Nossa Assessoria

Onde Estamos

Receba nossa Comunicação

Sua Opinião

Webmaster

Associe-se!

Filie-se Já!

Quem pode se Associar

Seja um Conveniado

Seja um Patrocinador

Benefícios

Comerciais

Competitividade

Eventos

Juridico-Tributarios

Reconhecimento

Recursos Humanos

Representatividade

Salas e Auditórios

Biblioteca

Agenda do Setor de TI

Dados de Mercado

Documentos

Inscritos em Prêmiações em Andamento

Inscritos em Premiações Encerradas

Legislação

Material de Eventos

Oportunidades de Negócios

Perguntas Frequentes

Recomendações

Loja Virtual

Inscrição Prof. Imre Simon - 2014 - ASSOCIADOS

Inscrição Prof. Imre Simon - 2014 - NÃO ASSOCIADOS

Livro 'Juntos Somos Mais'

Na Mídia

Artigos

Clipping

Mídias Sociais

Newsletter

Notícias das Regionais

Notícias do Setor

Notícias dos Associados

Press Kit

Press Releases

Revista TI

Semana em Brasília

>
 
 
 

(C)opyright 1976 - 2016 by Assespro Nacional

Sede: SRTVS - Quadra 701 - Bloco A - Salas 829/831
Edifício Centro Empresarial Brasília
70340-907 Brasília (DF) - Brasil
Fone/Fax: +55 (61) 3201-0932

 

Layout desenvolvido por: