Página InicialNa MídiaNotícias das Regionais

27/07/2015 - Empresas brasileiras já sentem no bolso efeito positivo da Internet das Coisas

As empreas brasileiras vão investir R$ 237 milhões, ou US$ 79 milhões, em Internet das Coisas em 2015, revela pesquisa divulgada pela Tata Consultancy Services (TCS), nesta segunda-feira, 27/07. O percentual é superior ao relatado por corporações latino-americanas - US$ 54,7 milhões, o que representa, hoje, 0,23% do total de suas receitas que são investidos nesta tecnologia. Em 2018,projeta ainda a consultoria, as empresas da América Latina vão crescer os gastos em 22% em IoT.

 

O estudo aponta que os executivos ainda encaram a Internet das Coisas como uma área de crescimento para os negócios. Entre as 795 empresas entrevistadas, 12% dos líderes de negócios planejam investir US$ 100 milhões em 2015 e 3% buscam fazer um investimento mínimo de US$ 1 bilhão. O relatório também mostrou que as empresas esperam que seus orçamentos para IoT continuem crescendo ano a ano, com valores que devem aumentar 20% até 2018, somando US$ 103 milhões.

Empresas na vanguarda dessa onda de inovação têm conquistado grandes resultados a partir de seus investimentos na IoT. Um grupo de 8% dos entrevistados, selecionado com base no melhor retorno sobre investimentos em IoT, reportou um surpreendente ganho médio de receita de 64% em 2014 como resultado direto dessas iniciativas.

Atualmente, afirmam os autores da pesquisa da TCS, o maior impacto nos negócios é a possibilidade de oferecer mais serviços e produtos personalizados, no entanto, até 2020, isso deixará de ser uma função de marketing para se tornar um meio de aumentar as vendas por meio de maior valor agregado para os clientes.

Em uso

A aplicação mais usada de IoT pela maioria dos entrevistados é o monitoramento de clientes através de aplicativos móveis - quase metade de todas as empresas (47%) adota essa prática. Mais da metade (50,8%) das organizações que lideram as iniciativas de IoT admite investir nessas tecnologias para rastrear seus produtos e saber como eles estão se comportando, enquanto isso acontece apenas com 16,1%dos entrevistados com os níveis mais baixos de retorno sobre investimentos em IoT.

O levantamento também apura que o setor de Saúde tem sido aclamado como aquele com maior potencial para se beneficiar com a IoT, porém continua sendo um dos segmentos mais subdesenvolvidos nesse campo devido a restrições regulatórias e preocupações relacionadas à segurança de dados que atualmente dificultam a inovação. O setor planeja investir apenas 0,3% de sua receita em IoT em 2015, mas aumentará esse valor em pelo menos 30% até 2018. O segmento da saúde impulsionado pela IoT deve valer US$ 117 bilhões até 2020.

A pesquisa mostra que o segmento de Manufatura Industrial reportou o maior aumento na receita gerado pela IoT, com uma média de 28,5%, seguido pelos setores de Serviços Financeiros (17,7%) e Mídia & Entretenimento (17,4%). A indústria Automotiva tem o menor ganho de receita com apenas 9,9%. O relatório, que abrange tendências de 13 grandes setores, identificou que os investimentos em grande escala em infraestrutura e monitoramento de IoT não se limitam à Manufatura.

Os segmentos de Viagem, Transporte e Hospitalidade planejam investir 0,6% de suas receitas este ano. Empresas de Mídia & Entretenimento investirão 0,57% da receita em IoT também este ano – valores significativamente maiores do que a média de 0,4% e 0,44%que será investida por Bancos e Serviços Financeiros.

Em termos globais, o México foi um dos países onde a maioria das empresas relatou um aumento de 21% nas receitas de 2013-2014, fruto da implementação de iniciativas de IoT. As empresas brasileiras, em comparação com os outros países pesquisados, foram as que mais reportaram aumento na receita, em torno de 11% a 20%. Entre 2015 e 2018, as companhias latino-americanas esperam que as suas receitas tenham um aumento de 17,8% por conta das iniciativas da Internet das Coisas.

As empresas norte-americanas tiveram os maiores ganhos, 18,8% em relação ao ano anterior. A Europa como um todo apresentou um crescimento de 12,9%, enquanto a região Ásia-Pacífico viu um aumento de 14,1%.

Já a América Latina comemorou um impressionante crescimento de 18,3%. Em 2015, as empresas europeias planejam investir US$ 93,9 milhões em média, com as empresas francesas liderando o grupo (US$ 138 milhões em média) à frente da Alemanha (US$ 86,2 milhões) e do Reino Unido (US$ 80,9 milhões).

Por sua vez, as companhias norte-americanas vão investir 0,45% da receita este ano em iniciativas de IoT, enquanto as europeias farão investimentos de 4,0%. Empresas da Ásia-Pacífico investirão 0,34% da receita em IoT.

Convergência Digital

27 de julho de 2015

Editar esta página (área restrita)

 

Institucional

Associados

Biografias

Depoimentos

Diretoria Nacional

Diretorias Regionais

Histórico

Internacional

Missão, Visão e Valores

Núcleos Regionais

Transparência

Contatos

Contate Nossa Assessoria

Onde Estamos

Receba nossa Comunicação

Sua Opinião

Webmaster

Associe-se!

Filie-se Já!

Quem pode se Associar

Seja um Conveniado

Seja um Patrocinador

Benefícios

Comerciais

Competitividade

Eventos

Juridico-Tributarios

Reconhecimento

Recursos Humanos

Representatividade

Salas e Auditórios

Biblioteca

Agenda do Setor de TI

Dados de Mercado

Documentos

Inscritos em Prêmiações em Andamento

Inscritos em Premiações Encerradas

Legislação

Material de Eventos

Oportunidades de Negócios

Perguntas Frequentes

Recomendações

Loja Virtual

Inscrição Prof. Imre Simon - 2014 - ASSOCIADOS

Inscrição Prof. Imre Simon - 2014 - NÃO ASSOCIADOS

Livro 'Juntos Somos Mais'

Na Mídia

Artigos

Clipping

Mídias Sociais

Newsletter

Notícias das Regionais

Notícias do Setor

Notícias dos Associados

Press Kit

Press Releases

Revista TI

Semana em Brasília

>
 
 
 

(C)opyright 1976 - 2016 by Assespro Nacional

Sede: SRTVS - Quadra 701 - Bloco A - Salas 829/831
Edifício Centro Empresarial Brasília
70340-907 Brasília (DF) - Brasil
Fone/Fax: +55 (61) 3201-0932

 

Layout desenvolvido por: