Página InicialBibliotecaInscritos em Premiações Encerradas

2013 - Iniciativa para a Construção de Cidades Digitais - ICI - Instituto Curitiba de Informática

Empresa sediada no estado do Paraná, o Instituto Curitiba de Informática participa na categoria Iniciativa para a Construção de Cidades Digitais

 

Vote aqui:

Para votar, clique no botão Recomendar.

VOTAÇÕES ENCERRADAS! AGRADECEMOS A SUA PARTICIPAÇÃO.

 

 

Site da Empresa:

www.ici.curitiba.org.br

 

Nome Completo da Iniciativa, Reportagem ou Solução apresentada: 

Inclusão Digital nas Proximidades das Escolas Municipais

 

Descrição detalhada da Iniciativa, Reportagem ou Solução apresentada:

Inclusão Digital nos arredores das escolas municipais

Instituto Curitiba de Informática (ICI)

 

Introdução

Este trabalho tem como objetivo apresentar o projeto de inclusão digital dos moradores nos

arredores das escolas municipais da cidade de Curitiba, por meio da disponibilização de acesso gratuito à internet, utilizando rede sem fio (tecnologia wi-fi). A primeira seção apresenta uma breve introdução ao tema, explanando também, brevemente, sobre o Instituto Curitiba de Informática. A segunda seção explora algumas das motivações e oportunidades detectadas, fornecendo ainda algumas informações para contextualização. A terceira seção explana sobre a implantação do projeto, seguida da seção final onde são expostas algumas conclusões, análises gerais e próximos passos.

1. Contextualização

A inclusão digital da população excluída do universo da Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC também pode ser considerada como um dos caminhos para a inclusão social. Por meio da inclusão digital, a população menos favorecida consegue o direito de livre acesso à informação e pode ser beneficiada com recursos que permitem o acesso às informações de seu interesse, além de ajudar na democratização do acesso às novas tecnologias e permitir a inserção social dessa camada da população, podendo, até mesmo, melhorar suas condições de vida.

 

Outro ponto importante a salientar é que o Instituto Curitiba de Informática – ICI envolveu-se neste projeto por ser uma empresa com atuação em todo o território nacional no desenvolvimento de soluções para a gestão governamental e manter com o Município de Curitiba um Contrato de Gestão que tem por objeto, dentre outras coisas, estabelecer as bases da execução das atividades relacionadas ao desenvolvimento científico e tecnológico ao ensino e à pesquisa nas áreas de informática, telemática e tecnologia da informação. O ICI é uma Organização Social sem fins lucrativos, com gestão privada, mas objeto público. Sua missão é “Prover soluções integradas para gestão pública, por meio da prestação de serviços de alta disponibilidade e confiabilidade, de forma ágil e inovadora, contribuindo para a melhoria contínua das condições de vida da população.” Por ser uma Organização Social sem fins lucrativos, o ICI investe seus resultados econômicos em pesquisas para o desenvolvimento de novos projetos e em ações de responsabilidade social.

2. Motivações e oportunidades

Considerando a existência do Programa Um Computador Por Aluno – PROUCA, do Governo Federal, ao qual a Prefeitura de Curitiba aderiu e que contempla aquisição de computadores portáteis para uso dos alunos das escolas municipais, fez-se necessária a implantação de uma solução de acesso à internet nas escolas. O objetivo, neste caso específico, é viabilizar a utilização plena desses equipamentos em salas de aula, permitindo que seja possível a utilização da internet pelos alunos e, facilitando a continuidade dos estudos e a pesquisa em sala de aula. A implantação da tecnologia wireless nas escolas municipais permitiu que novos paradigmas de comunicação fossem estabelecidos e o ideal de inclusão digital fosse transformado em realidade, apoiando o desenvolvimento educativo e o crescimento social da população.

Uma vez consolidado o projeto dentro das escolas, percebeu-se uma oportunidade de ampliação do fornecimento da internet wi-fi. Visando a expansão do PROUCA, e adotando-se a infraestrutura já disponibilizada nas escolas municipais de Curitiba, o Instituto Curitiba de Informática – ICI criou uma estrutura de apoio paralela e disponibilizou um “outro” sinal de internet, permitindo que a população dos arredores da escola, em um raio aproximado de 200 a 500 metros (a partir do poste onde a antena está instalada) também pudesse ter acesso gratuito à internet. É importante frisar que, independentemente das especificações técnicas dos equipamentos, a cobertura e a área de atuação do sinal é bastante influenciada pelas características arquitetônicas das construções próximas, bem como do relevo da região onde a antena se encontra instalada.

A característica inovadora do projeto se ampara na interpretação derivada da definição geral advinda do Manual de Oslo: “É a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente melhorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método organizacional nas práticas de negócios, na organização do local de trabalho ou nas relações externas”. Mais especificamente, a solução implantada pelo ICI poderia ser interpretada como uma inovação de produto: “introdução de um bem ou serviço novo ou significativamente melhorado no que concerne a suas características ou usos previstos. Incluem-se melhoramentos significativos em especificações técnicas, componentes e materiais, softwares incorporados, facilidade de uso ou outras características funcionais”. A exigência mínima é que o produto ou processo deve ser novo (ou substancialmente melhorado) para a empresa (não precisa ser novo no mundo).

3. Informações geográficas

Conforme dados do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba – IPPUC (http://www.ippuc.org.br), o município de Curitiba tem 43.466,52 hectares, conta com uma população de 1.776.761 habitantes e uma densidade demográfica de 40,30 hab/ha (habitantes por hectare). A cidade possui 75 bairros e uma média de 23.690 habitantes/bairro, com 136.473 alunos matriculados na rede municipal de ensino, distribuídos em 4.926 turmas, num total de 180 escolas municipais.

4. Implantação

O projeto de inclusão digital do entorno das escolas na cidade de Curitiba teve a implantação iniciada em 2012 e conta atualmente com 80 pontos de distribuição (de um total de 180 escolas) de internet sem fio, cujo sinal chega a aproximadamente 13.000 residências e pontos comerciais.

O ICI realizou levantamento detalhado das informações necessárias com objetivo de reunir dados técnicos a respeito da localização ideal, capacidade e quantidade dos equipamentos e demais insumos necessários. A topologia da solução compreende a cobertura da rede wireless (denominada wi-fi) em faixa de frequência não licenciada de 2.4 GHz, com utilização de dispositivos homologados pela ANATEL de rede local sem fio (WLAN), baseados no padrão IEEE 802.11g. A solução dispensa uso de cabos de conexão entre usuário final e a rede wi-fi, facilitando o uso do serviço. Para se ter acesso à internet através de rede wi-fi, deve-se estar no raio de ação ou área de abrangência de um ponto de acesso ou local público onde opere rede sem fios.

Para a implantação da solução em Curitiba, após o levantamento dos requisitos necessários,foi criado um “kit wi-fi”, composto dos seguintes itens: antena wi-fi para ambiente externo,poste de 17 metros de altura, nobreak, acessórios de instalação, sistema de proteção contra descargas atmosféricas, serviços de instalação e configuração dos equipamentos do kit e elaboração do croqui de instalação final. Na topologia ponto-multiponto, um único ponto transmite vários pontos e, nesse caso, a banda de dados é compartilhada por todos os usuários.

Essa é a forma como os usuários de um sistema wireless, com tecnologia wi-fi, compartilham a banda de dados. Como exemplo, temos o seguinte cenário: quando dez usuários estão acessando simultaneamente um ponto de acesso cuja capacidade de tráfico de dados é de 1 Mbps, cada usuário terá em média 100Kbps de capacidade. Cada estação cliente (computador conectado) navega com velocidade máxima de 512 Kbps e para tanto o sistema possui controle de banda que possibilita limitar a velocidade máxima com que cada computador cliente da rede wi-fi navega.

Considerando uma média de 2,76 moradores por residência (http://www.ippuc.org.br) e a quantidade aproximada de residências dentro do raio do sinal (13.000), tem-se uma estimativa de cobertura do projeto para aproximadamente 27.600 moradores. Atualmente os números apontam para uma média de 2.600 acessos externos diários, sendo 1.200 acessos únicos, ou seja, de pontos diferentes. O pico de utilizações simultâneas acontece no período da noite, das 19h30 às 23h, variando de 230 a 270 usuários conectados. O consumo de banda, com essa quantidade de usuários simultâneos, não chega a 30 Mbps, o que nos indica que o serviço está operando quatro ou cinco vezes abaixo de sua capacidade total. Porém, de acordo com as medições, a média de autenticações e acessos únicos tem crescido a cada mês. Apresentando os dados de 2013 tem-se o seguinte cenário:

- Em janeiro/2013, média de 1.712 autenticações, sendo 699 únicas;
- Em fevereiro/2013, média de 2.009 autenticações, sendo 861 únicas;
- Em março/2013, média de 2.300 autenticações, sendo 1.010 únicas;
- Em abril/2013, média de 2.420 autenticações, sendo 1.070 únicas.

 

As escolas cujo entorno mais consomem banda estão localizadas nos seguintes bairros:

- Fanny, com 8.415 habitantes;
- Uberaba, com 72.056 habitantes;
- Pilarzinho com 28.480 habitantes;
- Cidade Industrial de Curitiba, com 172.822 habitantes e;
- São Braz com 23.559 habitantes.

 

As escolas cujo entorno tem maior número de usuários conectados estão nos seguintes bairros:

- Tatuquara, com 52.780 habitantes;
- Butiatuvinha, com 12.876 habitantes;
- Augusta, com 6.598 habitantes;
- Cidade Industrial de Curitiba, com 172.822 habitantes e;
- Campo do Santana com 26.657 habitantes.

 

As maiores acessos dessa população são: Facebook, Google, Gstatic, Doubleclik, Fbcdn, Yieldmanager, Zynga, Youtube, Passaporte Curitiba, Microsoft, Adnxs, Scorecard Research, Google Syndication, MSN, Iminent, Orkut, Avast, Twitter, Google Apis e Ctmail.

A fim de que a população tomasse conhecimento dos serviços, o ICI realizou, dentre outras

coisas, uma divulgação massiva por meio da distribuição de panfletos. Tais panfletos, além de apresentarem informações como quais eram os locais de acesso gratuito, traziam também o “passo a passo” necessário para a utilização dos serviços. Foram distribuídos cerca de 14 mil planfletos, os quais foram entregues para os transeuntes, residências e estabelecimentos comerciais no entorno das escolas que receberam o kit. Além disso, foram instaladas placas de sinalização, ao estilo das placas de trânsito, informando que aquela determinada região escolar está coberta por uma rede wi-fi.

 

5. Conclusões e próximos passos

Considerando o volume de acessos realizados, observa-se que a solução implantada em Curitiba reflete o interesse na busca de informações pela tecnologia e a necessidade de inclusão digital de toda a população. Trata-se de uma solução relativamente fácil de ser implantada e/ou expandida para outros equipamentos urbanos, desde que seja realizado o estudo preliminar das condições técnicas, características arquitetônicas e de relevo da região, assim como dos locais nos quais os pontos de acesso devem ser instalados, bem como a potência do equipamento e seu raio de acesso. É possível pensar, por exemplo, em pontos de acesso como escolas, creches, unidades de saúde, e outros equipamentos urbanos, conforme definição de cada projeto.

Além disso, o perfil de acesso, conforme citado na seção anterior, pode indicar que, no momento, o uso da internet gratuita está sendo feito com um propósito bastante voltado à inclusão digital propriamente dita, com um acesso predominantemente voltado às aplicações de redes sociais e afins.

É importante frisar que este é um projeto vivo, e que ainda irá se expandir (de acordo com o planejamento e encaminhamento da Prefeitura) para o restante das escolas municipais que não foram contempladas neste primeiro momento (o projeto já atendeu praticamente a metade das escolas). Além disso, ressalta-se que a cidade de Curitiba, por intermédio do próprio ICI, também possui outras iniciativas de fornecimento de internet wi-fi gratuita, podendo ser citadas, por exemplo, as conexões disponibilizadas em alguns parques e outros pontos turísticos da cidade.

 

 

Justificativa da Candidatura:

A inclusão digital da população excluída do universo da Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC também pode ser considerada como um dos caminhos para a inclusão social. Por meio da inclusão digital, a população menos favorecida consegue o direito de livre acesso à informação e pode ser beneficiada com recursos que permitem o acesso às informações de seu interesse, além de ajudar na democratização do acesso às novas tecnologias e permitir a inserção social dessa camada da população, podendo, até mesmo, melhorar suas condições de vida.

O Instituto Curitiba de Informática – ICI (contando com o apoio da Prefeitura de Curitiba) envolveu-se neste projeto por ser uma empresa com atuação no desenvolvimento de soluções para a gestão governamental e mantém com o Município de Curitiba um Contrato de Gestão que tem por objeto, dentre outras coisas, estabelecer as bases da execução das atividades relacionadas ao desenvolvimento científico e tecnológico ao ensino e à pesquisa nas áreas de informática, telemática e tecnologia da informação.

A solução fornece internet sem fio (e gratuita) aos moradores dos arredores de, por enquanto, 80 escolas municipais, apoiando o desenvolvimento educativo e o crescimento social da população.

Considerando uma média de 2,76 moradores por residência (http://www.ippuc.org.br) e a quantidade aproximada de residências dentro do raio do sinal (13.000), tem-se uma estimativa de cobertura do projeto para aproximadamente 27.600 moradores. Atualmente os números apontam para uma média de 2.600 acessos externos diários, sendo 1.200 acessos únicos, ou seja, de pontos diferentes.

O perfil de acesso tem indicado que, no momento, o uso da internet gratuita está sendo feito com um propósito bastante voltado à inclusão digital propriamente dita, com um acesso predominantemente voltado às aplicações de redes sociais e afins.

É importante frisar que este é um projeto vivo, e que ainda irá se expandir (de acordo com o

planejamento e encaminhamento da Prefeitura) para o restante das escolas municipais que não foram contempladas neste primeiro momento (o projeto já atendeu praticamente a metade das escolas). Além disso, ressalta-se que a cidade de Curitiba, por intermédio do próprio ICI, também possui outras iniciativas de fornecimento de internet wi-fi gratuita, podendo ser citadas, por exemplo, as conexões disponibilizadas em alguns parques e outros pontos turísticos da cidade.

 

 

Depoimentos:

Internet wi-fi é implantada em escolas municipais

 

A escola Rachel Mader Gonçalves foi uma das primeiras a receber o serviço

A educação municipal de Curitiba deu um novo salto de tecnologia. Desde julho, quatro escolas têm acesso à internet sem fio e até o final de setembro outras 20 escolas receberão a novidade (clique aqui para visualizar o mapa completo das escolas). Conhecida como wi-fi, a internet sem fio permite a conexão em todo o espaço da escola e também em seu entorno, beneficiando famílias, comércio e serviços.

O trabalho foi desenvolvido para a Secretaria Municipal da Educação pelo Instituto Curitiba de Informática (ICI), instituição responsável pela pesquisa e desenvolvimento de soluções de informática voltadas à gestão pública.

O sinal gratuito de internet alcança as proximidades de cada instituição, em um raio de 200 metros em torno da antena e pode ser acessado por qualquer dispositivo com tecnologia wi-fi.

“Trata-se de um serviço que amplia a inclusão digital e promove avanços na vida dos estudantes, além de beneficiar a população do entorno das escolas”, explica o diretor-presidente do ICI, Renato Rodrigues. “Com isso, é possível acessar a internet, receber e enviar e-mails e realizar pesquisas escolares. É uma porta de entrada ao mundo digital para pessoas de todas as idades.”

A previsão é que toda a rede municipal de ensino, com 181 escolas, seja coberta progressivamente. As primeiras unidades a oferecer internet wi-fi são Rachel Mader Gonçalves (Uberaba), Professora Nathália de Conto Costa (Umbará), João Amazonas (Campo de Santana) e Centro de Educação Integral Júlio Moreira (São Braz).
 
Conexão escola

A tecnologia disponibilizada pelo ICI vai ao encontro da ação da Secretaria Municipal da Educação (SME), que está distribuindo 20 mil netbooks (versão menor e mais leve dos laptops) para as escolas municipais. Os computadores foram adquiridos por meio do projeto “Conexão Escola”, parceria entre Prefeitura de Curitiba e Governo Federal que resultou no Programa Um Computador por Aluno (Prouca).

O Instituto Curitiba de Informática contribuiu na ampliação da infraestrutura para viabilização do Prouca ao implantar novos links de fibra óptica nas escolas e disponibilizar sinal wi-fi para acesso à internet.

“Hoje não se pode mais pensar em educação sem pensar em tecnologia, por isso a internet wi-fi nas escolas é um ganho tão importante”, destaca a secretária municipal da Educação, Liliane Casagrande Sabbag.

Avanço

A primeira escola a receber o serviço e os equipamentos foi a Rachel Mader Gonçalves, do bairro Uberaba. Os alunos, que antes utilizavam a web apenas nos 16 computadores do laboratório de informática, cerca de uma hora por semana, agora podem acessar conteúdos em diferentes momentos.

Patrícia Batista Ribas, Leonardo Carola Wieczarek e Carlos Gabriel Caetano da Silva, todos com 10 anos, admitem que a mudança facilitou o aprendizado. “É porque todo mundo gosta de usar a internet”, diz Leonardo. Ele afirma que é um dos mais experientes no assunto e por isso orienta os colegas na hora das aulas.  Patrícia fala que a escola é o único lugar onde acessa a web, enquanto Carlos brinca dizendo que trocaria o caderno pelo computador “todos os dias”.

“Utilizar a internet como ferramenta de trabalho irá melhorar muito a qualidade do ensino, pois enriquece as aulas e traz conteúdos de outros lugares, outras culturas”, comenta a diretora da escola, Raquel Aparecida Trindade. Ela cita como exemplo a pesquisa sobre as variadas crenças religiosas, trabalho realizado recentemente em sala pelos alunos. “Estamos empolgados, é um avanço significativo”, comemora.

Aumento de concentração e melhora no comportamento foram mudanças sentidas pela professora Vivan Faria após o início do uso dos netbooks com internet. “Eles estão bem mais preocupados com o que fazem e com o que escrevem”, comenta.

 

Inclusão digital

A diretora Raquel Trindade aponta que a internet aberta em toda a escola é um novo incentivo para aumentar a participação da população nas atividades de finais de semana, quando acontece o projeto Comunidade Escola. “Muitos têm computador em casa, mas não podem pagar pelo serviço de internet. Isso deve tornar o cenário mais positivo e criar uma sensação de pertencimento que melhora a autoestima da comunidade”, acredita.

Para os alunos da turma de Educação para Jovens e Adultos (EJA), com aulas à noite, usar a internet diretamente em sala tem um significado especial. A estudante Maria de Lurdes Silveira, de 49 anos, que aprendeu a ler e escrever ao entrar para a turma da Rachel Mader de Oliveira, fala que passou por uma grande mudança na vida e a internet presente no dia a dia é uma delas. “Melhora muita coisa, até a relação com meus filhos”, diz. “Para nós, que somos mães, é muito bom.”

Maria das Mercês Silva, 63, conta que sua família não se preocupava com a educação dos filhos. Por isso, desde criança, ela trabalhou e nunca teve chance de estudar. É essa a realidade que está se esforçando para mudar. “Minha vontade é aprender a usar a internet e sair pelo mundo. Quero conhecer o Rio de Janeiro, ir para Aparecida do Norte e voltar para Pernambuco”, comenta Maria das Mercês, referindo-se ao seu local de origem. Ela, que perdeu o contato com a família há mais de 30 anos, pretende realizar um sonho com o uso da web: “Quero encontrá-los. Com o computador e fé em Jesus, eu vou conseguir.”

 

 

Internet grátis sem fio chega a 80 escolas municipais

 

Orzilha Gaspar e o filho Rômulo: acesso à internet era feito na casa de vizinhos

A família de Orzilha Aparecida Figueiredo Gaspar, moradora do bairro Tatuquara ( a 16 quilômetros do Centro), acaba de entrar para o grupo de curitibanos que conta com acesso grátis à internet dentro de casa. Com dois filhos na Escola Municipal Vila Zanon, Orzilha é uma das moradoras beneficiadas pelo projeto Curitiba Digital – Internet Grátis, que disponibiliza internet sem fio em escolas municipais e suas proximidades.

 O projeto, realizado pelo ICI para a Prefeitura de Curitiba, deve atingir as 179 escolas do município até junho de 2013. “Antes meus filhos usavam internet na casa dos vizinhos, mas há duas semanas eu comprei um computador e, na hora de instalar a internet, vimos que o sinal da escola chegava até aqui”, comemora Orzilha.

 A Vila Zanon está entre as primeiras 80 escolas a receber a internet grátis sem fio (via tecnologia wi-fi) dentro da instituição. A conexão é de 20 Megabytes (MB) por escola. O sinal é ofertado também para casas, comércios e serviços localizados num raio de até 200 metros no entorno de cada instituição.

 “É uma expansão digital do conceito de Comunidade Escola, pois rompe as barreiras físicas e traz informações às famílias dos alunos a qualquer hora do dia e em qualquer dia da semana”, afirma o diretor-presidente do ICI, Renato Rodrigues.

Ele ressalta que a internet grátis é um dos “pilares do nosso reconhecimento como Cidade Mais Digital do Brasil em 2012”. Este ano, Curitiba alcançou o topo do Índice Brasil de Cidades Digitais, pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) - entidade privada originária do Ministério das Comunicações.

 Alunos e professores conectados

Nas escolas onde o serviço já está ativo, os alunos acessam a internet a partir de netbooks (versão menor e mais leve dos laptops) nas próprias salas de aula – 20 mil foram distribuídos pela Secretaria Municipal da Educação para todas as escolas municipais.

Os equipamentos fazem parte do projeto Conexão Escola, da Prefeitura de Curitiba em parceria com o Governo Federal. Com a tecnologia wi-fi em toda a área da escola, o uso da internet deixa de ser restrito aos laboratórios de informática e passa a ser integrado à rotina da sala de aula.

“Professores também usam o sinal para fazer pesquisas e o planejamento das aulas”, diz a diretora da Escola Vila Zanon, Márcia Peça. É o caso da professora Karla Renata Ferri: “Isso facilita muito o nosso trabalho, pois com a internet no apoio aos livros temos um leque maior de conhecimento”.

 Benefício para a comunidade

“No dia que instalaram (a internet sem fio), tinha uma fila de gente usando notebook e celular na calçada em frente à escola”, conta a diretora Márcia. De acordo com o gerente de infraestrutura do ICI, Fernando Matesco, o serviço é apropriado para o acesso a e-mails, redes sociais, acesso a portais e realização de pesquisas diversas.

A confeiteira Djanani Gomes de França, que mora perto da Escola Vila Zanon e trabalha em casa, vai além: “Eu busco receitas na internet para fazer minhas encomendas”. Djanani conta que o serviço oferecido pelas operadoras de internet na região ainda não é satisfatório

 “Antes eu ficava andando pela casa procurando o sinal”, diz. Com dois filhos na escola municipal, ela conta que as pesquisas escolares feitas em casa facilitaram a rotina das crianças, pois não há lan house por perto. “E agora estou até ensinando minha mãe a usar a internet”, orgulha-se.

Como usar

O sinal gratuito de internet alcança as proximidades das escolas municipais que estão com o serviço ativo, em um raio de 200 metros em torno da antena, e pode ser acessado por qualquer dispositivo com tecnologia wi-fi padrão de mercado.

Para acessar, basta localizar a rede WIFI_CURITIBA no dispositivo. O navegador será direcionado para o site do Passaporte Curitiba, no qual é possível cadastrar-se. Após o preenchimento dos campos, a navegação é liberada. Depois do primeiro cadastro, basta inserir login e senha para ter acesso ao serviço novamente. A velocidade da conexão pode variar de acordo com o número de usuários simultâneos na região.

Editar esta página (área restrita)

 

Institucional

Associados

Biografias

Depoimentos

Diretoria Nacional

Diretorias Regionais

Histórico

Internacional

Missão, Visão e Valores

Núcleos Regionais

Transparência

Contatos

Contate Nossa Assessoria

Onde Estamos

Receba nossa Comunicação

Sua Opinião

Webmaster

Associe-se!

Filie-se Já!

Quem pode se Associar

Seja um Conveniado

Seja um Patrocinador

Benefícios

Comerciais

Competitividade

Eventos

Juridico-Tributarios

Reconhecimento

Recursos Humanos

Representatividade

Salas e Auditórios

Biblioteca

Agenda do Setor de TI

Dados de Mercado

Documentos

Inscritos em Prêmiações em Andamento

Inscritos em Premiações Encerradas

Legislação

Material de Eventos

Oportunidades de Negócios

Perguntas Frequentes

Recomendações

Loja Virtual

Inscrição Prof. Imre Simon - 2014 - ASSOCIADOS

Inscrição Prof. Imre Simon - 2014 - NÃO ASSOCIADOS

Livro 'Juntos Somos Mais'

Na Mídia

Artigos

Clipping

Mídias Sociais

Newsletter

Notícias das Regionais

Notícias do Setor

Notícias dos Associados

Press Kit

Press Releases

Revista TI

Semana em Brasília

>
 
 
 

(C)opyright 1976 - 2016 by Assespro Nacional

Sede: SRTVS - Quadra 701 - Bloco A - Salas 829/831
Edifício Centro Empresarial Brasília
70340-907 Brasília (DF) - Brasil
Fone/Fax: +55 (61) 3201-0932

 

Layout desenvolvido por: